Como funciona o índice de Velocidade

Conheça o significado das letras AA, AAA e AAAT

O Índice de Velocidade do cavalo é calculado pelo tempo que o animal percorreu determinada distância e varia de acordo como o local, ou seja, Hipódromo ou Jockey Club em que ele correu. Essas considerações são de Mauro Zaborowsky, titular do Haras Vista, ex-presidente do Jockey Club de Sorocaba e estudioso do assunto.

Segundo ele, o animal que marcar, por exemplo, o tempo de 21s140, na distância dos 402 metros no Jockey Club de Sorocaba, em 2020, numa corrida submetida a antidoping, recebe o Índice de Velocidade 100 ou AAAT 100.

“A cada quatro centésimos a mais que ele demora para percorrer os mesmos 402 metros, perde um índice, ou seja, se fizer a distância em 21s194 terá índice 99”, explica. “Quando ele faz índice de 80 a 89, recebe o Registro de Mérito AA (double A). Já ao atingir de 90 a 99, é denominado AAA (Triple A); quando chega acima de 100 de índice, seu Registro de Mérito é AAAT (Top Triple A)”.

Zaborowsky alerta que devemos ficar atentos a alguns fatores importantíssimos, para não analisá-los de forma equivocada.

Definição da Tabela de Índice de Velocidade

Conforme as regras da American Quarter Horse Association (AQHA) e da Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha (ABQM), todos os anos e para cada pista reconhecida, a ABQM ou a AQHA seleciona os três melhores tempos de animais vencedores em cada distância (sem repetir o animal) em cada um dos três últimos anos e tira a média desses nove tempos, para encontrar, então, o tempo que representará o novo índice de velocidade 100. Se o hipódromo está iniciando, utiliza as marcas básicas do livro de regras da AQHA.

Não usar o mesmo índice para todas as pistas

“Porque o piso e as condições atmosféricas variam de acordo com o lugar”, argumenta Mauro Zaborowsky. Ele lembra que nas pistas e distâncias onde correram os melhores cavalos, é mais difícil de se conseguir o melhor índice. “Os maiores hipódromos de corridas de Quarto de Milha do mundo, Los Alamitos e Ruidoso Downs, são os lugares mais difíceis do mundo para se fazer índice, pois lá correm os melhores cavalos do mundo e, na hora de obter-se a média, ela então é baseada nos índices obtidos por esses melhores velocistas.      

Texto: Moacyr Russo

Revisão: Jequitibá Comunicação Estratégica

Foto: APHA